quinta-feira, janeiro 29, 2015

understand? El coco...



Sábado 10-01-2015
Foi preciso esperar até ao dia 10 de Janeiro para ir desejar uma feliz  festa de solstício ao coelhinho.
Começamos com um assédio à direta dos tetos. O primeiro largo é todo uma variedade de contorções e outras manhas circenses. Tentamos chegar rápido à travessia do teto, onde o MC queria brincar de Lynn Hill. As excelentes vistas e a qualidade fantástica da rocha, manteve-nos entretidos até ao por do sol. Demasiado quente este sol de inverno!  Rapelamos já no lusco fusco e fomos preparar o jantar.

Como tem sido hábito, turistas do hotel ávidos de aventuras, vêm nos visitar. Elogiam a qualidade do vinho e contam as suas aventuras.

Domingo de manhã, na tentativa de impressionar uma alta patente que andava por aquelas bandas, saio em jejum equipado com essa roupa da moda runér, e a muito custo faço o "meadinha ring". Trata-se de um trilho circular com cerca de 10km, com demasiadas subidas. Não impressionei ninguém, arrebentei as pernas e quase que chegava atrasado para o pequeno almoço.

Domingo 11-01-2015
Depois do pão com chouriço e de trocar a indumentária, começamos as negociações para eleger a via do dia. Foi muito renhido devido aos fortes argumentos da "Salo", da "Tia Mucha", da "Aplaudeme Nena" e do "Fosso do Lobo", mas acabou por ganhar a "S". A clássica das clássicas.
Ao MC faltava-lhe em livre o 3º e 4º largo.
A estratégia seria eu abrir o 1º e 2º largo e o MC ficava com o resto...
Entretido com as imagens na cabeça do Kevin e do Tommy numa parede parecida com esta que existe na América, até parecia fácil!
O segundo largo que apenas tinha feito de segundo de cordada, até correu muito bem. Fui andando, os meus dedos fininhos foram entrando nas pequenas fissuras. Já no final do teto na transição, comecei a bazarucar com os pés e a tremer todo por dentro, esboço um gesto para passar o dedo na chapa, mas temendo as consequências, volto atrás. Começo a olhar para a cintura, já sem chegar às cintas expresses nem nada, agarro um friend que estava mais à mão, passo o mosquetão do friend na chapa e respiro de alivio.
Alivio que durou pouco. Mal espreito o que me espera, sinto o baque seco do medo, um baque cheio de eco e ressonância. Penso em descer, lembro-me de truques antigos com unhas e estribos, e entre dentes digo mal do estilo ligeiro. Na reunião os companheiros de cordada não se apercebem de nada.

Uma cordada espanhola na via ao lado, apercebendo-se das minhas dificuldades falavam entre eles. Dizia o que estava mais perto de mim para os seus companheiros na reunião:
- Understand? ...el coco... - falava assim em estrangeiro na ingenuidade que eu não percebe-se. E repetia fazendo com o dedo indicador um gesto em espiral apontar para o capacete:
- Understand? Understand? ...el coco! - para que os seus companheiros "compreendessem" as subtilezas da mente naquelas passagens, e ficasse mais claro, o porquê das minhas dificuldades.

Dificuldades que foram diminuindo até à reunião. Pouco depois essa cordada ficou com a corda atascada e teve que rapelar, apeteceu-me dizer-lhes:
- Understand? troublemaking... - mas deixei-os ir, o MC atirava-se com vontade a um largo que tem também o seu "q" de "coco". Que com alguns tiques e tremeliques conseguiu encadear.
O 4ª largo, meteu-me muito medo, porque a reunião era apertada para dois. E estava mesmo a ver o MC a cair-nos em cima. Mas com as suas super nhunhas de crocodilo encadeia também este largo. Cansados, saímos pelo canal original.
Quero esquecer rápido aquelas dificuldades para podermos lá voltar, porque a via vale a pena.

A separar o metal para rumar a casa, vem despedir-se o visitante da noite anterior, a perguntar onde nos metemos de manhã. Que nos trouxe o pequeno almoço, mas não nos encontrou...

E aquilo meteu-me muita mais pena do que a via que ficou por encadear...


 kit para escalar na Meadinha
 Sérgio na 1º largo da Directa dos Tectos
Taia na 1º largo da Directa dos Tectos
MC na 1º largo da Directa dos Tectos
 MC no 2º largo da Directa dos Tectos
 Taia e Sérgio no 2º largo da Directa dos Tectos
Carrachos
Sérgio no 3º largo da Directa dos Tectos
 Sérgio no 3º largo da Directa dos Tectos
MC no 4º largo da Directa dos Tectos


 MC no 4º largo da Directa dos Tectos



 Sergio no 1º largo da "S"
  Taia no 1º largo da "S"
 Sergio no 2º largo da "S"
  Sergio no 2º largo da "S"

MC no 3º largo da "S"


Sérgio no 3º largo da "S"

MC no 4º largo da "S"


 No topo com caras de maus.

AB

3 Comments:

Blogger Unknown said...

Sempre os mesmo ensarilhas!
Muito bom ;)

4:37 da tarde  
Anonymous F. Pereira said...

dois rolos de ph no rack!

5:13 da tarde  
Anonymous Rosado said...

Pois Ferman, também fiquei intrigado com os dois rolos.
Pergunto-me, "-Para a Meadinha deve-se levar um rolo por escalador ou é um rolo por largo?"

12:06 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home