sexta-feira, maio 04, 2007

II CIMEIRA de PORTALEGRE



Um pouco de história:
Na 1ª Cimeira de Portalegre, 5 ilustres não alentejanos, concluiram que:
1- os blocos urbanos em breve esgotarão;
2- subir chaparros é bonito e tal, mas é necessário desenvolver o hidraulico e a tecnica do lança esmaga;
3- o alentejo é plano, e estavam a aumentar rapidamente o numero de escaladores a atingirem o limite psicológico antes de atingirem o sexto grau da escala de Franciu Escalage.

face a estas constatações, alarmados sentiram (como se o último ponto abaixo dos pés estivesse) que:
1- Os éFeÀmaniacos em breve começaram a tentar trepar desesperadamente tudo de novo que apareça pela frente, (pondo em perigo a segurança de monumentos, árvores, pessoas e animais);
2- Os chaparros estão a crescer rápidamente e em breve não poderão ser escalados em estático;
3- Neste relevo, e com estes tipos de sintomas o medo e a obesidade assim como outros medonhos males apoderam-se dos orgãos vitais (incluindo o cérebro).

Várias propostas foram lançadas para tentar culmatar estes terriveis prognósticos,
reunidos todos os pareceres (incluindo pareceres de tribos externas).
decidiram timidamente que UM MURO deveria ser construido, seria a única forma de travar a decotação exponencial da capacidade escalatória.

Este muro deveria ter obrigatóriamente pelo menos 2 (inclinações):
- um a 30º
- um a 45º

para servir as necessidades iniciais de criaturas de pekena estatura, ou jeito, que nunca chegam às presas: puliticoles, ecolarils, velinhus, grávildos, clianclas, etcl) e outros frouxos similares decidirão que a trazeira desta última estaria livre para utilização em placa usando para o efeito t-nuts anti-dérrapage.

se possivel um tecto e demais muros com diversas e frouxas inclinações mais.

Faltavam apenas 4 coisas:
- um comité de decisão para ver quem iria fazer o trabalho du carpintaria;
- percorrer as margens dos rios a procura de presas bonitas;
- Pedir, gamar, ajuntar, etc: gravetame para du material da construção (nomeadamente placas, barrotes, pernos, t-nus (anti-derrapage), parafusos, etc.);
- local onde montar a barraca.

Decidiram:
- trabalharão os 5 macacos;
- os macacos comprarão e/ou fazerão à mão as presas que puderem;
- Os macacos acarratarão com toda a despesa de material, representação e outras se mais houver;
- O local será por baixo da bancada do estádio dos assentos, (quando os adeptos barrigudos e as adepticas histéricas pularem de tristeza com os golos das equipas adversárias dificultarão a dureza dos blocos com a trepidação de toda a estrutura);

Assim pensaram, assim fizeram.
Compraram material, trabalharam, e ao fim do sétimo dia tinham o MURO30º acabado. Descansaram um pouco, fizeram a IIª cimeira e viram que tudo o que tinham feito era bom.

2 Comments:

Blogger teixas said...

BRUTAL....havendo vontade não ha impossivel.
Agora ha que hidraulizar e abrir o pisca
"lá está a fama dá nos estatuto"
(memoravel citação garçoneza)

4:46 da tarde  
Blogger frouxo said...

aaah, então é um muro... que bonito. tá desfeito o mistério. têm é de pôr isso mais vertical. Inclinado a 30º e a 45º para a frente até eu escalo essamérda. e tem muitas protecções, esse muro? parece-me alto... uns 4 m ou assim. é coisa para levar pelo menos três plaquetes. sem contar com o top.

12:11 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home