quinta-feira, março 20, 2008

Blog-coluninária

Peço desculpa aos nossos leitores por termos descurado uma das vertentes do nosso blog: a culinária.

Blog-coluninária
Passarinhos do inicio da Primavera com arroz.

Depois das chuvadas nas manhãs solarengas ouvimos a passarada em pleno frenesim, é altura de por em prática a arte de caçar o passarinho mais gordinho mais rechonchudinho com mais carninha.

Seguem-se as técnicas mais eficazes de caçar passarada:

O visgo (bisgo)- Esta é quiçá a melhor maneira de apanhar passarinhos para fritar, o visgo trata-se de uma substancia pegajosa feita a partir de materiais reciclados tais como luvas de enfermagem, elásticos etc. adicionados com cola de contacto e cozinhados numa panela que posteriormente se pode deitar para o lixo.
A técnica consiste em escolher uma árvore de copa baixa e barrar alguns ramos no interior com a dita poção, os passaritos ao pousar ficam com as patas presas, depois é só apanha-los para dentro de um saco e prepará-los para o petisco, é conveniente usar uma gaiola com um “chamariz” (um tentilhão ou um bico grosso) para com o seu canto atrair a passarada. Esta técnica tem a vantagem de poder ser usada em pleno dia.

O anzol – Técnica básica de caça ao pombo manso, ideal para o escalador pescador estudante, não carece de grande sofisticação e os materiais usados são baratos e fáceis de adquirir.
Primeiro há que escolher o largo de igreja mais conveniente para a caçada (os terreiros das aldeias de montanha são magníficos), o grupinho de escaladores então assenta arraiais como se apenas se encontrassem em amena cavaqueira (convêm discrição para não chocar os transeuntes), munidos de anzol e linha, espalha se um pouco de milho no chão, ao qual os pombos logo acorrem, basta espetar o anzol num dos grãos, e esperar que o bicho fique preso pelo bico, logo puxa-se a linha de pesca e o pombo lá vem em estilo papagaio de papel, depois é mete-lo para dentro do petate.

O enxofre – Entre a passarada, esta tecnica, é conhecida pelo nome de guerra química.
Na verdade é uma técnica um pouco laboriosa que rende uma grande quantidade de pássaros num curto intervalo de tempo.
Materiais empregues:
Braseira - recipiente em zinco, usado para pôr brasas debaixo da mesa nos serões de conversa nas noites de Inverno, de qualquer escalador que viva no campo.
Picão – carvão miúdo de madeira de oliveira
Enxofre - produto fitofarmacêutico da classe dos fungicidas usado para protecção das culturas agrícolas.
Todos os escaladores devem estar munidos de frontal visto que a caçada só pede ser feita de noite. A escolha da árvore dormitório é muito importante para o rendimento da colheita, as melhores são aquelas que, ou têm um cão amarrado ao tronco ou então que se encontrem em quintais com cães à solta, visto que os pássaros preferem essas por ser mais difícil o acesso dos gatos. A meio da noite coloca-se a ou as braseiras com o picão incandescente sob a copa das arvores deitando uma quantidade considerável de enxofre dentro de cada uma delas, depois é só esperar que eles caiam inanimados e coloca-los dentro de um saco.

No Inverno nesta estação torna se mais difícil caçar passarinhos, sendo a melhor solução procurá-los nos sitio mais abrigados, os poços são lugares de eleição, os pardais especialmente gostam de pernoitar lá.
Coloca se um panal de apanhar azeitona por cima do poço, tudo muito silencioso, claro, devidamente equipados com frontais os escaladores dispõe-se em redor do poço com a cabeça debaixo do pano, larga-se uma pedra para o fundo e a passarada desata a esvoaçar tentando desesperadamente sair.Com as luzes acesas e sem levantar o pano é só apanha-los à mão e mete-los dentro de um saco.

Pombo bravo – Esta técnica tem a característica de se poder reunir uma grande quantidade de pássaros numa noite, é muito boa para ser usada nas zonas de bloco, que fiquem dentro de bosques, localizados nas rotas de migração, bosques estes que os pombos bravos usam para dormir. Por vezes são ás centenas de milhar.
O modo de os caçar, consiste no lançamento de um foguete de sinalização (tipo verylight) no bosque, a meio da noite, quando os pombos dormem em sossego, o clarão faz com que a passarada levante voo, toda duma vez, completamente desorientada, chocando uns nos outros, há uma grande numero deles que caem no chão atordoados, cabe agora aos escaladores devidamente munidos de frontais, procurá-los e mete-los dentro da mochila, podem atingir-se cifras muito elevadas, na ordem das centenas em apenas uma noite.

Mira de raio lazer dos pobres – É uma forma rudimentar de caçar passarinhos, muito morosa e que requer muita precisão. Basta atar uma lanterna da loja dos 300 ao cano de uma pressão de ar, com fita americana ou strapal e escolher uma árvore dormitório da passarada. Tem a vantagem de se poder caçar com precisão o número de aves necessárias para o petisco.

Rede de pesca – Excelente para aquelas tardes estivais em que a temperatura impede a escalada. É uma técnica muito simples que consiste em estender e fixar verticalmente em quatro pontos, uma rede de pesca (normalmente entres 2 arvores). Depois com uma gaiola e respectivo chamariz, basta ficarmos deitados de papo para o ar, a observar as ditas iguarias, virem em voo picado a grande velocidade e ficarem presas na rede.
Tem a vantagem de se poder seleccionar com precisão as espécies a capturar.

Fritam-se os passarinhos e o arroz faz-se de qualquer maneira.

2 Comments:

Blogger teixas said...

aaah como é boa a primavera!

6:29 da tarde  
Blogger cc said...

O Abismo... Abismou!!!

11:09 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home