terça-feira, outubro 04, 2011

Meadinha - Gritos de Ultratumba

01-10-2011

Mais um belo sábado passado na Meadinha. A escolha deste sábado caiu sobre mais uma via belissima: "Gritos de Ultratumba".

É necessário esclarecer que a palavra "ensarilhar" é hoje uma imagem de marca das nossas pessoas como escaladores, mas nem sempre este arquétipo se aplica. Como podem ver nos seguintes corquis existe uma certa incoerência na via 33.

No calor da via e com o mapa geral das vias no bolso, na fase final seguimos pela direita, entrando no 3º largo da temível "SALO". A vontade de a fazer é grande, mas ainda não estamos preparados para tanto sofrimento e prazer.


Croqui da via 33, Gritos de Ultratumba, terceiro largo pela esquerda do tecto.


Pormenor do croqui geral, linha 33, cor de rosa, que une na via "Salo", terceiro largo pela direita do tecto. Foi este o trajecto escolhido. É de salientar que nesta zona da parede o RADÃO é mais intenso, chega mesmo a ser perceptível o seu zumbido.


A vista da toquinha.


Início da via.


Sérgio no primeiro largo, que se revelou mais que estético, divertido e fresquinho para a alta temperatura que fazia lá "fora".




Taia, vista de cima.


Os dois na reunião do mato vejam a seguir.


Mato, um denso tapete para o meus pés na 1ª reunião, início do grande diedro.


Zeza a iniciar o grande diedro super super contínuo.




A mitrar-se, bem compreensível.

A chaminé de aspecto simpático à direita é a famosa "Salo", foi uma companhia perturbadora, porque quando olhava para o lado não conseguia decifrar um único movimento. A protecção só é possível com aquelas barras de fazer elevações, que se coloca no corredor de casa. Dizem que antigamente usavam sacos de areia entalados, vendo o tamanho da chaminé só se fossem sacos de 100Kg.


A triunfar no largo mais duro.


Eu ainda a escalar, mas escalei pendurei, arranhei...deu para tudo, conclusão o diedro é lindo mas é duro, um dia quero ter forças para o fazer a dançar na vertical. Aqui está um bom objectivo.


O 3º largo é muito bonito e aéreo, mas um carracho corrosivo queimou o negativo e ficamos sem fotos.



Primeiras andanças pela "SALO", final da "Gritos de ultratumba", já a cair a cortina negra.

Rapelados dos domínios do Sr. Coelho e com vontade de afastar o mais possível das radiações da Fukushima granítica. Fomos jantar aos "banõs" de Bande, umas termas baldias ao lado do rio Lima, já em terra de nuestros hermanos.

Tostinhas de ultratumba,

manteiga Xipiri,

e demais verduras.


O domingo foi passado em boa companhia, de retiro para cura física e psicológica.

Zeza nos banhos de Argila quente.


A vista para as ruínas romanas.

Até breve Coelhinho.
AB

Etiquetas: , , ,

2 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Parabéns!!
Nunca na minha vida tinha ouvido falar dessa via!
Parece espectacular e já está na lista.
Mas não para este finde que vamos aproveitar os ultimos dias sem portagem na A23, a caminho da serrinha!

Abreijos.

Paulo Roxo

10:03 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Boa actividade!!!!
Por falar em Salo, estava presente quando o Eric fez a que julgo ser a 2º repetição da via. E digo ela tem mau aspecto, mas com alguém a escalar lá..... parece muito pior!!
Abraço
João Animado

1:59 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home