quinta-feira, setembro 21, 2006

la "s" - segunda dia 19


Planos para o dia seguinte: fazer a via do “s”. Hum parece-me bem, lá fomos nós cheios de coragem e de medo.

Tinha ficado combinado que eu abriria o primeiro largo, mas fui indolente e não fui capaz, e o Teixa substitui-me, teria que ser um de nós porque o Sérgio ia abrir o largo do tecto em artificial 6c ou A1.

O Teixa esteve muito bem em abrir o primeiro largo, é um largo muito bonito, mas não pode ser para inexperientes.

O Sérgio abriu o segundo largo até ao tecto e decidimos abandonar, havia muita pressão no ar, desculpas, mas estava programado voltar para Portalegre ainda na segunda, se soubéssemos que teríamos mais um dia com toda a certeza que teríamos investido parede acima, mas nada está perdido e vamos lá voltar para apertar pelo “s” acima, espero já abrir o primeiro largo, hihihiiiiii grandes surpresas ainda estão para chegar.




A caminho de casa o Teixa recebe um telefonema e ficamos a saber que poderíamos ficar mais um dia, a hesitação foi grande em ficar pelo Gerês, mas decidimos que faríamos uma escalada já a caminho de Portalegre, pois se ficássemos no Gerês o estigma de 600 km ia voltar atacar no dia seguinte, poderíamos fazer algumas vias de desportiva, mas não estávamos para esse lado.

Passa-mos por Felgueiras peguei nas minhas coisas, ainda deu para petiscar queijo, presunto, pão. Em casa do Sérgio comemos legumes cozidos com bacalhau, e fruta, cá no norte receber bem uma pessoa em casa é dar-lhe comida, parece que o Teixa ficou bem impressionado.

taia

2 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Curiosamente, numa tentativa que fiz com dois amigos dessa via, desisti uma reunião mais acima.

Temos que lá voltar para acabar o "raio" da via!

Mas abreviamos o segundo largo, porque um de nós fez aquilo em livre e só com expresses!

Duro!

Boa linha, pena curvas para la chegar.

Nelson

8:13 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

De facto a Meadinha não é de facto um bom lugar para aprender a escalar de primeiro.
As vias são exigentes e a parede imponente.
Um conselho: se os topos que possuem são os antigos não liguem um chavo para as dificuldades ali apontadas. É uma escala antiga e adaptada aos locais, ou seja, os Galegos que abriram a grande maioria das vias. Os tipos eram do outro mundo. Só para verem o nível, um deles realizou (entre outras) a via S em solo integral, no tempo em que as galinhas tinham dentes e a malta calçava pés de gato do tipo Titanic com a bela da meia bem esticadinha a meia perna. Os IV`s em geral são bastante dificeis e, se se acrescentar o + é melhor contar com um bom 6a... técnico! Os V`s podem ultrapassar o 6b e, como diria o Paulo Gorjão, se te deparas com um V+ bem podes borrar as calças! Quanto ao VI... podem-no considerar fora do léxico!

Por isso Taia, não te preocupes muito com o facto de não teres podido com o primeiro lance.

Um abraço a todos

Paulo Roxo

10:17 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home