quarta-feira, agosto 09, 2006

Derrucada numa Noite de S.João

Ontem fui com o Luís à Penha. Fui a pé desde a cidade subi as escadas intercalando corrida/caminhada - aquilo moeu-me a mioleira - fiquei cá com uma molesa, decerto foi o calor, outra hipótese é que uma máquina com 90kg de "cilindrade" não bebe 5 aos 100 como uma mais frouxinha, aquela hora já tinha o depósito vasio. Os "secretos" do JI são horrivelmente maus - chamar "secretos" a umas postas de baleia gorda com 3 dedos de altura é quase heresia. Arrotar banha e todo atordoado lá subi.

Dirigimo-nos para uma via que o João equipou no fim de semana, a via mais podre e decomposta da penha - Derrucada numa Noite de S.João.
O Luis fez a (FA) e eu a 1ª repetição - deve dar um V+, mas é muito marada. Começa por uma chaminé em que nos entalamos.

De seguida andei a ver as possibilidade de uma via à direita com top comum.
O Luís tentou ainda sem triunfar a "Aldir".
Passei a corda no top da "mandíbula" e andamos lá pendurados a ver o que aquilo pode dar acho que já descobri a sequência, agora é equipar. Mas aquilo ainda não é para as minhas garras. Apesar dos seus +/- 7 metros, é bastante extraprumada e alietória, constantes reposicionamentos de corpo e tendões rijos.

A cereja no cimo do bolo foi já de noite escura às apalpadelas na parede uma sessão de boulder.
Cansaditos lá descemos, com uma lua nova espectacular a iluminar o caminho.
foje lá daí que acho que isto vai cair...